Como devo me preparar para sair de uma relação abusiva?

0
Mãe de Adolescente

Estava navegando pela web quando me deparei com um artigo maravilhoso no Portal JusBrasil.com.br sobre os amparos jurídicos em caso de relacionamento abusivo.

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que muitas pessoas nem sequer sabem que vivem em uma relação abusiva, portanto é adequado reconhecer os sinais dela, conforme este post e este teste, que podem indicar se você ou uma amiga sua podem estar em uma relação abusiva ou não.

Quando se reconhece estar em uma relação abusiva, não é tão simples assim sair dela. Existem N questões que devem ser levadas em consideração, uma vez que um indivíduo abusador pode ser capaz de tudo para não ser abandonando e, claro, não precisar pagar por suas atrocidades.

Pensando nisso, sempre que falo de reconhecer uma relação abusiva, tenho uma preocupação em como é efetivamente se livrar dela e do abusador, buscando o menor ônus e as melhores condições de segurança possível, seja segurança emocional, física, financeira, social, moral, psicológica, etc.

E foi aí que caí no post que vou agora replicar aqui, pois achei incrivelmente útil e elucidador, mas antes quero muito pedir que cliquem nesse link e deixei aí salvo em seu navegador este link, pois ele pode vir a ser útil e necessário. Nesse site você poderá encontrar um advogado para tirar suas dúvidas e, porventura, te socorrer em caso de necessidade.

Antes de apresentar as perguntas para as quais eles deram respostas esclarecedoras, acho importante destacar uma parte do artigo:

Como devo me preparar para pedir a separação?

Enquanto o abusador não sabe da iniciativa da separação, é importante que se tire cópia dos documentos relativos aos direitos que foram conquistados. Com a câmera do telefone, guarde cópia dos documentos de identificação dele (CPF principalmente), dos contratos e escrituras dos imóveis, dos documentos de licenciamento dos veículos, das declarações de Imposto de Renda (com o recibo de entrega), das certidões de nascimento dos filhos, das contas da família (despesas com moradia, educação, saúde, lazer, alimentação), fotos da mobília e eletrodomésticos dentro de casa. Deixe as fotocópias guardadas virtualmente em um local que ele não possa ter acesso. Possuir a documentação necessária é um passo fundamental. Depois, peça para seu advogado (ou defensor público) deixar pronta a medida judicial. Quando decidir por iniciar o rompimento, entre com o processo para bloquear preventivamente bens que tenha direito. Peça as medidas acautelatórias que protejam a sua integridade física e psicológica.

Denuncie: LIGUE 180 A Central de Atendimento à Mulher funciona 24 horas por dia, recebendo ligações de qualquer lugar do país, para fornecer informações e encaminhar denúncias. A ligação é gratuita de telefone fixo ou celular.

Abaixo, seguem algumas questões levantadas no artigo que encontrei:

1. “Não vou ter como me sustentar caso me separe.”

2. “Ele vai pedir a guarda dos filhos caso eu me separe.” ou “Meus filhos vão sofrer se ficarem sozinhos com ele.”

3. “Não terei direito a nada do que adquirimos pois não está em nome dele.”

4. “Não tenho como provar o quanto ele ganha ou o que ele possui.”

5. “Não tenho para onde ir. A casa é dele.”

6. “A Justiça é muito lenta e posso ser morta/violentada se ele descobrir minha iniciativa.”

7. “Perante os conhecidos, ele é um santo. Ninguém sabe o que eu sofro.”

Se você precisa das respostas para qualquer uma dessas perguntas, clique aqui e visite o artigo na íntegra.

Achei esclarecedor e importante de ser levado adiante!

Romântica, mas de um jeito nada romântico. Escrever é como construir uma colcha de retalhos: vou juntando pedaços de histórias, sentimentos e pensamentos meus, seus, de outras pessoas. E a cada vez que você me lê, me cita e me compartilha, enche meu coração de alegria e mostra para alguém um pouco mais de você, de mim e, claro, dela mesma.

Amo escrever, mas amo mais ainda ser lida. ♥

Comentários

comentários

Comments are closed.