Carta para saber como cheguei até você

0
Mãe de Adolescente

Meu amô,

Eu te esperei por tantos anos. Foram três longos anos de espera. Neste tempo eu passei tantas coisas e tantos relacionamentos que me destruíram, mas nunca deixei de acreditar. Já amei quem não devia, já insisti num relacionamento que não devia, já não fui correspondida, já me revoltei com essas coisas de amor também, venha cá, deixo te contar um pouquinho do que passei nessa vida de amores e dissabores, de alegrias e tristezas, de recordações que me fizeram chegar até você.
Certa vez eu resolvi desisti daquele amor errado, daquele tempo que sufocava, daquele que não me fazia feliz. Eu acreditava que agindo desta forma, eu poderia encontrar um carinha que me fizesse mais feliz do que ele. A princípio tudo me lembrava dele. Aí eu me toquei que estava procurando alguém que tivesse as mesmas características, estava errada mais uma vez, não poderia procurar por alguém que me fazia mal, eu tinha que respirar novos ares e não fugir do foco de encontrar alguém que de fato me completasse naquela ausência que ele me causava (ele sabia disso).

Fui tentar sair com as amigas, ocupar a mente, porque você sabe essas coisas de amor, cansa um pouco né? São doloridas, demoram a cicatrizar. Desta forma fui me encontrando, me reconhecendo, sabendo o meu verdadeiro valor, afinal, eu também tinha a parte boa. Passou o tempo, estava tudo colocado nas prateleiras do coração, tudinho no seu devido lugar. Resolvi correr atrás do amor verdadeiro de novo.

Me arrumei toda, fui cheirosa e linda para um evento, lá teria vários rapazes, quem sabe não conseguiria alguém para amar lá? E não é que eu estava certa? Um dos rapazes que estavam lá me chamou atenção e acho que chamei a atenção dele também, conversa vai, conversa vem, passou semanas e uau! Estávamos namorando. Foi rápido demais, fácil demais, até que estava feliz. Mas ai não deu certo, um dia ele chegou todo doido e terminou comigo, até hoje me perguntava por que, pior que descobri que ele era um tremendo de um safado.
Essa coisa de amor estava difícil para mim, eu estava brava da vida, e já não queria saber mais de ninguém, olhei no espelho e disse “agora só me importarei comigo”, e estava eu mais do que enganada novamente. A tal da cicatriz que o amor causava doía demais sabe? Eu até queria me livrar, mas uma amiga minha disse que um remédio bom mesmo era o senhor tempo.

Fiquei pensando quando é que ele iria chegar, não demorou muito ele chegou! Estava no ônibus quando vi um lindo cara. Eu pensei “que gato!” e logo depois pensei “ nada de pensar nisso!”, quando tem que acontecer não tem jeito, a gente se livra, se livra e se livra e nada né? Não tem escapatória. Eu comecei a encontrar o tal do moço bonito todos os dias no mesmo ônibus, começamos a conversar, nos tornamos amigos.

Sabe a gente até ria junto, comia junto, fazia um monte de coisas juntos, e eu me lasquei de novo. O coração começou a acelerar por causa daquele carinha. E eu não acreditei que estava entrando naquela de novo né? Fazer o que! Não tenho controle dessas coisas do coração. Só sei que não passou muito tempo e estava eu quebrando a cara de novo, dessa vez ela foi arrastada no asfalto, o carinha lá tinha namorada. Outro que quebrava meu coração. Meu coração já estava quebrado em dez mil pedacinhos, e não tinha mais esperanças de nada em relação ao amor. Na minha cabeça já era mentira este tal de amar e ser correspondido.

E eu estava lá com uma máscara de felicidade por fora, e por dentro não queria mais ninguém, nem pintado de ouro. Ter amigo nessa hora é tudo. Eles ocupam sua mente e te faz prosseguir e foi assim que os meus fizeram comigo. Certo dia eles me chamaram para ir numa festa junina, e eu recuperada em tese da quebra de coração, me arrumei toda, coloquei minha blusa xadrez, minha bota e meu chapéu, cheguei lá no arraia. Feliz comigo e alegre porque ia me divertir.

Chegando lá tinha um carinha super apresentável, parecia gente boa, e era novidade porque nunca tinha visto ele na área. Fiquei olhando o cara de cima a baixo, olhar não tira pedaço! Fui embora da festa lá, e quando chego em casa, abro minha rede social e lá está a solicitação do bonito. Quase enfartei! Conversa vai, conversa vem, dias vão, dias vem, lá tava eu toda apaixonadinha. E pior que o moço também? Este era um homem de coragem!
Finalmente cheguei até você!

Depois de tanto quebra- quebra, tentativas e erros, você de fato laçou o meu coração. Homem bondoso e dedicado, homem de caráter e tudo que eu precisava. Complemento certo este né? Demorei, mas cheguei até você e você até a mim. Valeu a espera! Valeu os anos perdidos com os carinhas errados, valeu todas as festas, valeu tudo. Tudo tinha o tempo certo! Valeu até a roupa de xadrez e o chapéu que usei, e olha que nem gosto de chapéu, mas por você eu percorreria todo este tempo, só para ter a satisfação de chegar até você. Obrigada por colar todos os pedacinhos do meu coração de volta e fazer com que eu sorrisse por dentro e por fora. Ainda bem que cheguei até você! Te amo!

Nascida em São Paulo (SP). É publicitária e ama escrever. Suas outras paixões são a música e pilates. Romântica desde sempre, acredita que o amor verdadeiro ainda existe e que o dia pode ser melhor se você acordar e abrir um sorriso.

Comentários

comentários

Comments are closed.