Fingir que não se importa não é uma boa ideia. Entenda porquê

0

Fingir que não se importa com o intuito de provocar algum comportamento no outro, talvez seja um dos nossos maiores erros na vida.

Resolvi falar de desapego fingido após receber um dos emails de um leitor e vi quantas pessoas cogitam fazer isso como se fosse uma alternativa viável para resolver questões amorosas.

No email, o leitor pergunta:

“Será que se eu ignora-la, fingir que não me importo, que estou desapegado, ela não vai sentir minha falta e, aí, reconsiderar a volta?”

E me vi ali, congelada, pensando nesta pergunta e na resposta que eu, normalmente, daria.

E eu diria:

“Desencana. Porque desencanar é bom de um jeito ou de outro:

1. se ela repensar e quiser voltar, o ônus da reconquista será dela. E você poderá, na ocasião e de acordo com o seu momento, ver se ainda quer voltar ou não.

2. se ela não quiser voltar nunca mais, você já estará desencanado mesmo, pronto para novas situações, cuidando de si e da tua vida.”

E ainda acho que esta é a melhor opção. Desencanar, desapegar.

Mas ao dar este conselho, percebo que a maioria das pessoas entende: “Finja não ligar, comece a expor como um maluco o quanto está desencanado, postando fotos e frases onde parece estar curtindo a vida, pegando todas, bebendo, etc, etc, etc”

Só que não é nada disso! Na verdade, é muito diferente disso. O que quero dizer é: DESENCANA MESMO! Sem ficar postando, anunciando, provocando, muito menos fingindo. DESAPEGAR DE VERDADE, PRA VALER!

Parar de se importar, de ter expectativas, de agir milimetricamente calculando uma possível reação da pessoa ou tramando alguma forma de atingi-la.

desapego fingido

Desapegar de fato! Não apenas fingir o desapego. Não apenas ficar tão desesperado para demonstrar o desapego que fica mais do que claro e evidente que seu apego está efervescendo.

Porque fingir o desapego, acaba não fazendo o menor sentido. É quase que esfregar na cara da pessoa: “Olha, estou aqui fingindo que não ligo, para ver se você se toca que eu to é ligando muito”.

Afinal, se for para a pessoa saber que você liga, é melhor então você assumir que liga, que se importa, que não consegue se desligar.

Ao menos, é mais honesto. Consigo e com ela.

Aliás, é fácil alguém de fora te dizer: “Desencana”. É fácil demais dizer isto para pessoas que mal ou que nem conheço.

Não sou eu que estou lá, me fodendo, sofrendo, chorando, sentindo…

Agora, colocar em prática, desapegar mesmo, é foda!

Mas é possível. E ainda acho, de verdade, que é o melhor a ser feito. Melhor do que fingir desapego.

Então, se por acaso você não conseguir desapegar, não finja. Não tente parecer desapegado se não está.

Resigne-se. Recolha-se. Evite expor-se. Cuide de si, cuide de tentar eliminar expectativas sempre que elas aparecerem. Tente não pensar nisso. Tente se ocupar. Mas: NÃO FINJA DESAPEGO.

Tem até um tutorial para esquecer ex, aqui, mas claro que sei e entendo que é foda. Dá para conseguir, é preciso esforço, é preciso sangue, suor, coragem e lágrimas, mas funciona. É doloroso, mas você consegue!

FORÇA, CARAS!!

Quer me mandar um e-mail com teu caso? Clique aqui na página de CONTATOS

Romântica, mas de um jeito nada romântico. Escrever é como construir uma colcha de retalhos: vou juntando pedaços de histórias, sentimentos e pensamentos meus, seus, de outras pessoas. E a cada vez que você me lê, me cita e me compartilha, enche meu coração de alegria e mostra para alguém um pouco mais de você, de mim e, claro, dela mesma.

Amo escrever, mas amo mais ainda ser lida. ♥

Mãe de Adolescente

Comentários

comentários

Comments are closed.