Assim que te vi senti tudo de novo

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Eu achava que já tinha te esquecido e que tudo o que vivemos era só lembrança boa. E achava que depois da forma estranha como nos distanciamos, seria fácil seguir em frente e viver novas histórias. E foi! Eu acabei me conformando bem rápido que não valia a pena tentar descobrir o que nos afastou e aceitei bem demais os conselhos das amigas de “quem quer corre atrás”. Mas esqueci de pensar que eu também queria e nem por isso corri. Vai que você também fez apenas o mesmo?

Tudo bem! A vida continuou e eu conheci gente nova, beijos novos, tive até algumas paixonites bem legais. Amadureci e aprendi a conviver bem com minhas próprias demandas e dores do dia a dia. Aceitei que a vida pode ser boa mesmo quando está difícil e que um bom abraço não tem que ser apenas quando há amor e paixão envolvidos. Descobri que meu corpo pode se satisfazer plenamente com uma boa companhia e que minha mente facilmente se ocupa de boas conversas. Quanto ao coração, esse é meio exigente, mas que bom! Ele me preveniu de sofrer inúmeras vezes.

Cheguei a pensar que tinha coração de pedra, que eu seria incapaz de gostar de alguém e que o que senti por você era só um sentimento fabricado, por isso aceitei tão rápido que não demos certo juntos. Em minha mente ainda lembrava de nossos bons momentos, dos beijos que você me dava de repente enquanto caminhávamos, de como você me abraçava quando algum outro cara me olhava e de como me dava a mão de forma tão delicada quando íamos entrar em algum bar. Mas eram só lembranças carinhos de alguém que foi bom.

Era o que eu achava.

Mas aí te reencontrei num bar e assim que te vi senti tudo de novo. Assim que bati os olhos em você, gelei! Senti algo que nunca tinha sentido antes, mas preferi acreditar que fosse só curiosidade. Uma vontade estranha e incontrolável de ir até você e perguntar tudo, abraçar, beijar, mas me controlei, lógico. Pensei: “Vai que ele está acompanhado?. Observei, esperei e percebi que não. Que você estava lá, todo sorridente e espontâneo como sempre foi, mas cercado apenas de amigos. Que bom!

Frio na barriga, mas me aproximei. Disse oi e vi você sorrir com o olhar e nunca serei capaz de descrever a sensação, mas foi maravilhoso. E eu só pensava em te beijar, em como eu queria sentir seu beijo de novo. Não demorou muito e você disse que sentia saudades e isso acalantou meu coração. Apesar da chuva, fomos até lá fora com a desculpa de “tomar um ar” e foi nesse momento que você segurou minha cintura de forma tão delicada e puxou meu corpo contra o seu, olhando em meus olhos, me beijando calmamente. Foi mágico!

Assim que te vi senti tudo de novo

E nesse momento eu soube que sempre fui apaixonada por você, mas te deixei ir por medo de encarar e assumir o que sentia. Mesmo assim, você voltou e foi como se jamais tivesse ido. Exceto pelas histórias que vivi com outras pessoas e que ao fim de tudo acabaram servindo para que eu estivesse preparada para viver a melhor de todas com você.

Comentários

comentários

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.