“Fiquei com o cara, depois descobri que ele tem namorada” foi enviado para o blog Lógica Feminina através do formulário de contato.

A pessoa que nos enviou essa carta pediu para que a mantivéssemos no anonimato:

Olá, Thatu,

resolvi te escrever porque aconteceu comigo algo que eu não soube lidar e acho que fiz merda. Já está feito, eu sei, mas ainda penso no quanto fui mesquinha e imbecil, fazendo exatamente o que mais prejudicaria a todos os envolvidos e, pior, com a desculpa de que seria o correto a ser feito, porque sou honesta.

Eu deveria sentir vergonha do que fiz. É o que estou sentindo, aliás. Mas tentar me desculpar com os envolvidos pode ser ainda pior, uma vez que parecerá mais um golpe de oportunismo, então só me resta tentar me redimir comigo mesma tentando alertar o maior número de mulheres para, na situação semelhante a minha não fazer o que fiz, por isso escrevi para você e lhe peço que publique minha carta, claro que depois de fazer as devidas correções, mas mantenha o anonimato.

Segue breve relato do que fiz e que me arrependo amargamente:

‘Conheci o cara num evento e ele foi super bacana comigo, além de ser bem gatinho. Nada nos parecia impedir, então ficamos. E foi mágico. Tanto que me envolvi mais do que deveria. Sim. Sou dessas que paga de “superesolvidona” e que lida bem com tudo, é desapegada, moderna e tal. Mas, na verdade, faço um puta esforço é pra disfarçar que sou apenas como toda moça: uma sonhadora que não vê a hora que achar alguém que me olhe nos olhos e me diga que me quer pra valer.

E então, por um acaso, descobri que ele tem namorada.

Daí que fiquei nessa de me fazer de Luka e fingir nem lembrava do nome e fazer questão de apagar o telefone, aceitar meus erros, me reinventar e virar a página, mas não virei porra nenhuma.

Eu estava lá, chorando, sofrendo e cheia de recalque, porque após uma linda tarde de carinhos e amores, descobri que ele namora. Eu poderia mesmo ter saído por cima com a lição que Luka ensinou e que eu fingia seguir. Mas não! Eu não consegui. O recalque me dominou e o que eu fiz? Me juntei com mais outras garotas que descobri que ele havia ficado também e contamos tudo para a namorada dele.

O que será que pensamos? “Ah… Quando ela der um pé na bunda dele por ter sido traída, ele vai ficar desamparado e vai cair nos braços de uma de nós três, as alcoviteiras recalcadas que destruíram tudo”??

Eu acho que assisti muita novela mexicana. Só pode!

ele tem namorada

Daí que ficou um clima chato pra todos, inclusive amigos a volta, porque óbvio que todo mundo sabia que o único motivo para fazermos isso era recalque. Era querer ver o relacionamento dele destruído porque sentíamos uma puta inveja daquela que, mesmo traída, ainda era pra quem ele voltava. O que ganhamos com isso? NADA.

Quer dizer: ganhamos fama de recalcadas alcoviteiras, de loucas que acham que enganam alguém com o papo de “super honestas” e, claro, de derrotadas que não sabem perder. Por isso, me arrependo. Porque o relacionamento dele não era da minha conta… Se ele a traiu, ainda que comigo, não era da minha conta. O importante era eu saber o meu lugar e o meu lugar era: alguém que ele pegou uma única vez, foi bom, mas ele não queria mais porque ele ainda preferia ela.

Seja lá por quais motivos fossem, eu perdi. As outras perderam. Mas não me bastou perder o cara, eu perdi também a dignidade ao agir sob comando do meu recalque e inveja. Claro que se alguém que sabe desta história vir me perguntar, eu negarei e direi para sempre que o fiz por acreditar na honestidade, mas a verdade é que foi apenas e somente por recalque. Eu me deixei levar.

E para me redimir, estou admitindo isto aqui apenas para alertar todas as demais mulheres do mundo que algum dia passarem por isso também.

Não façam o mesmo que eu. Sair perdendo faz parte da vida. Perder a dignidade, ou melhor, joga-la no limbo é escolha própria. E um grande erro.'”

Este foi o depoimento de nossa leitora anônima. Se você também tem uma história boa para contar, mande-nos através do nosso Formulário de Contato. Avise-nos se quiser manter anonimato.

Comentários

comentários

About Author

Romântica, mas de um jeito nada romântico. Escrever é como construir uma colcha de retalhos: vou juntando pedaços de histórias, sentimentos e pensamentos meus, seus, de outras pessoas. E a cada vez que você me lê, me cita e me compartilha, enche meu coração de alegria e mostra para alguém um pouco mais de você, de mim e, claro, dela mesma. Amo escrever, mas amo mais ainda ser lida. ♥

Comments are closed.