Mulher, toma aqui teu poder!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Hoje vim te entregar teu poder, mulher. Esse poder que você já tem, mas ainda não tomou posse ou até tomou, mas não fez uso.

Porém, meu jeito de te empoderar não é igual aos que vejo por aí, de dizer que a mulher está linda, que a mulher é isso e aquilo, enchendo-a de elogios que se desfazem assim que ela se coloca diante do espelho.

Eu quero que você aprenda a lidar com o poder e com suas consequências.

E essas responsabilidades não podem ser esquecidas, assim como as consequências do poder. Ser poderosa é poder tomar decisões por si, mesmo que isso possa desagradar alguém, um grupo ou uma multidão.

E é aí que mora o problema!

Porque mesmo diante de grupos que teoricamente nos apoiam a ficarmos empoderadas, quando tomamos decisões com base em nossas escolhas, muitos desses grupos nos oprimem ou nos reprimem a ceder por uma decisão que ELES consideram melhor. E aí, tiram justamente o que estão dizendo nos dar: poder de decisão.

Por isso ter poder é tão complicado. Porque junto com isso, vem uma série de situações as quais teremos que aprender a lidar, tendo inclusive que supor abrir mão de coisas, situações e pessoas em função de algumas de nossas decisões.

Um exemplo bem claro:

Sua família é toda evangélica e você decide ser espírita. Você tomou uma decisão baseada em suas próprias escolhas, experiências e no que acredita ser melhor para si e, claro, para o mundo. Mas sua família não acha que você devesse seguir este caminho e criará toda a sorte de situações, inclusive constrangedoras, para que você se sinta forçada a seguir o que eles consideram certo. Aí, você vive aquele dilema de continuar o que acredita e viver nesse clima horrível ou largar mão e acatar o que eles querem.

Seja qual for sua decisão, ela terá consequências ruins. Então, melhor escolher o que VOCÊ quer, né?

Outra questão que quero tratar contigo para te empoderar de vez em 2016, é:

 

Amiga, você pode escolher, sim, com quem vai dividir a vida. Por mais apaixonada que esteja, dá para dizer não a quem não te trata como você merece!

Ser mulher não é fácil, eu sei. Temos que lidar com um mundo cheio de caras escrotos que acham que estamos aqui apenas para satisfaze-los. Mas sabe a parte boa de tudo isso? Você pode simplesmente tocar o foda-se para esses caras. TODOS ELES. Inclusive o cara que você tanto é apaixonada, caso ele não te trate como você mereça!

Já é parar de crer que o que te domina, rege e define as decisões é o que você sente, porque não é!

Esses dias, ao conversar com uma moça sobre ficar com caras que não prestam, ela disse: “Mas a gente não manda no coração”. Não, a gente não manda, mas manda nas nossas decisões e dá, sim, para decidir que não quer aquele lixo de cara, mesmo que esteja perdidamente apaixonada.

Dá para SE contrariar e não se submeter a ele, para sofrer um pouquinho agora, mas não viver refém de uma relação doente e de um cara escroto. Dá, sim, e eu quero que você tome posse desse poder.

 

Chega de viver terceirizando suas decisões e sua felicidade. Chega de esperar algo acontecer para fazer alguma coisa a respeito. Chega!

2016 tá aí e será o ano do teu poder. O ano que você vai decidir por si só e foda-se.

Vamos fazer as coisas acontecerem ou, caso não nos agradem, deixarem de acontecer.

Se você prefere ser magra, emagreça! Se prefere ser gorda, engorde! Se prefere ser gótica, use preto! Se prefere ser uma princesa Disney, seja!

O poder é de vocês! (É nosso, mas eu queria usar uma frase de feito já aclamada, então VAI, PLANETA!)

Exerça seu poder de mudar a si, de rever conceitos, de buscar evoluir. Exerça seu poder de dizer não, exerça seu poder de dizer sim, seu poder de não querer mais, de querer mais ainda.

Mas acima de tudo, entenda: por mais poderosa que formos, nunca vamos agradar a todos. Então, aproveitemos para aprender a lidar e respeitar os que não gostam de quem/como somos. RESPEITAR, não acatar, a não ser que a sugestão seja boa. Aí, a gente acata, porque somos poderosas, mas não somos burras, né? <3

Comentários

comentários

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.