Gisele Bündchen e Tom Brady: de quem é a culpa da SUPOSTA traição?

Gisele Bündchen e Tom Brady: de quem é a culpa da SUPOSTA traição?

menos de 1 minuto Hoje acordei com uma chuva de opiniões sobre a SUPOSTA culpa da SUPOSTA traição que culminou no fim do casamento de Gisele Bündchen e Tom Brady   Óbvio que não vi ninguém da minha TL culpando a babá. O que vi foram várias pessoas esbravejando sobre quem (também supostamente) estaria culpando a (também suposta) babá (supostamente) pivô da separação. Como o assunto é pertinente com o contexto que sempre abordo, resolvi opinar a respeito do assunto que apesar de suposições, podem Continue lendo

A morte de um pai, um herói.

A morte de um pai, um herói.

menos de 1 minuto A morte de um pai, um herói chamado Luciano, que morreu para me salvar. Luciano L. ✫ 08/05/1979 – † 14/01/2009 Abrimos um escritório comercial próximo de casa, de onde operávamos a empresa. Uma ou duas vezes por semana, Luciano fazia visitas aos clientes, geralmente terças e quartas-feiras. Aqui, narro o dia fatídico em que Luciano foi assassinado: Luciano estava especialmente feliz naquele dia, pois iria fechar dois contratos novos. Me deixou no escritório e foi rumo aos clientes. Como de costume, nos Continue lendo

Precisamos conversar…

Precisamos conversar…

menos de 1 minuto “Precisamos conversar…”: Aquela frase que chega dar calafrios quando alguém fala. Seja a mãe, o chefe ou o namorado, ela nunca é bom sinal.   Essa frase automaticamente nos faz repensar cada passo dado na vida até aquele exato momento em que a ouvimos, tentando entender o que poderia ter levado a pessoa a ter dito isso. Afinal, “Precisamos conversar” geralmente precede um fim. Fim de uma regalia materna, fim de um emprego ou o fim de um namoro. A Continue lendo

Dias dos Pais: sugestões de presentes para pais de verdade

Dias dos Pais: sugestões de presentes para pais de verdade

menos de 1 minuto Dia dos Pais: confira nossas sugestões de presentes para pais de verdade Existem vários tipos de pais: Pais tradicionais Pais religiosos Pais faz tudo Pais engraçados Pais bravos Pais rancorosos Pais casados com outros pais Pais amigos Pais modernos Pais antigos Etc Mas um coisa que é quase 100% unânime é que todo pai gosta de uma ferramenta, de uma maleta, uma boa lanterna… Agora me diga: qual pai não gostaria de ganhar uma besta de verdade? Porque, convenhamos, até Continue lendo

#DefensoresDaAmamentação: uma campanha de conscientização

#DefensoresDaAmamentação: uma campanha de conscientização

menos de 1 minuto Campanha @DefensoresDaAmamentação pretende conscientizar para a importância do aleitamento Essa semana, de 1 a 7 de Agosto, é a Semana Mundial da Amamentação e para conscientizar a todos sobre a importância do aleitamento materno, foi criada a campanha #DefensoresDaAmamentação. Para ajudar nesta campanha, decidi dividir com vocês minha experiência e minhas próprias percepções sobre o aleitamento materno. E quero aqui frisar que, por “aleitamento materno” não entende-se somente mães que amamento diretamente no peito, mas também mamães que não podem, Continue lendo

Como seria se: eles fossem sinceros

Como seria se: eles fossem sinceros

menos de 1 minuto O canal Destruindo Relacionamentos lançou mais um vídeo da série “Como seria se“. Desta vez, o “Como seria se eles fossem sinceros” é a versão masculina do vídeo anterior “Como seria se elas fossem sinceras” Ficou MUITO bom! (Mas a versão feminina é melhor, então veja esse, depois veja o outro): Gostou? Então dá aquela curtida no vídeo e aquela assinada no canal! Ah, curte aqui na nossa postagem também e compartilha, assim você ajuda os dois a crescerem. MUITO Continue lendo

A 19ª Mostra de Cinema Judaico terá 22 produções, incluindo longas-metragens de ficção e documentários baseados na cultura e tradição judaica e o destaque fica para 2 filmes centrados na mulher

 

Ontem fui com o Dressler prestigiar o coquetel de abertura da 19ª Mostra de Cinema Judaico e, em seguida, assisti ao filme “O Julgamento de Viviane Amsalem” no Clube Hebraica.

O Julgamento de Viviane Amsalem

Minha primeira surpresa foi em ver que o anfiteatro onde o filme seria exibido estava lotado.

Após uma breve apresentação, sem aquela chatice cheia de delongas e agradecimentos infinitos, o filme começou a ser exibido.

A primeira cena já é bem peculiar e aponta um formato baseado em uma obra muito mais comportamental, do que a maioria.

Confesso que pensei: “Ih, acho que me meti numa roubada. Esse filme deve ser um saco!” quando me dei conta de que era uma produção francesa.

Eu adoro cinema francês, mas costumam ser filmes menos dinâmicos, num ritmo mais cansativo, então não acho que seja ideal para ser visto numa segunda-feira a noite, à 50km de casa.

Mas a trama começou a ganhar alma e eu fui percebendo que este não seria assim. Ele tem um ritmo próprio, até frenético em alguns momentos e já me prendeu pelos detalhes comportamentais acentuados, mas sem serem caricatos.

A atriz, um primor em seu papel de mulher, fez valer cada cena que ela apareceu.

O filme trata de um tema delicado, pois traz a tona uma questão que envolve cultura, religião e costumes, apontamento para uma crítica social, mas sem criar vilões. O filme não tem mocinho e vilão. Tem um drama real, de pessoas reais, que fazem escolhas ruins e boas, pautadas em suas crenças, conceitos, dogmas, egos, etc.

A ousadia vem em querer fazer um longa-metragem todo num mesmo ambiente. É um desafio e tanto para o diretor e ele o fez com maestria.

O filme tem os alívios cômicos também baseados na narrativa do ser humano e suas falhas, seus trejeitos e modos. E são alívios cômicos de uma qualidade incrível, daqueles que o público gargalha mesmo!

O enredo, já previsível para o final, não tira o encanto de querermos desvendar o andamento da história. De querermos ver como cada momento se desenrola e como cada persona se comportará diante de cada confronto.

É quase uma história daquelas que nossos avós contam e que ficamos vidrados, mesmo depois de ouvi-la 100 vezes.

Dressler e eu saímos de lá extasiados e perplexos em ficarmos duas horas dentro da sala, num filme que acontece todo dentro de uma sala, sem nos sentirmos cansados ou com sono.

E a cabeça fervilha, a discussão no caminho de volta, onde paramos para pensar em como a construção das personagens foi primorosa em mostrar nossas humanidades e choques, é inevitável.

Sinopse e detalhes

Em Israel, somente os rabinos tem o poder de firmar ou dissolver um casamento. Mas esta última opção só se concretizará se houver total consentimento do marido. Viviane Amsalem (Ronit Elkabetz) está pedindo um divórcio há três anos, mas seu marido, Elisha (Simon Abkarian), a nega. A intransigência do marido e a determinação de Viviane em lutar por sua liberdade dão o contorno deste processo.

 

Vale assistir! Olha onde vão rolar as sessões:

19ª Mostra de Cinema Judaico

mostra de cinema judaico

De 4 a 9 de agosto, o Clube Hebraica realiza o 19º Festival de Cinema Judaico, trazendo a São Paulo 22 produções, 19 delas inéditas no Brasil, apresentadas em diversos festivais internacionais. A programação inclui longas-metragens de ficção e documentários que contam histórias emocionantes baseadas na cultura e tradição judaica.

O evento ocorre em cinco endereços paulistanos – duas salas no Clube Hebraica (teatros Arthur Rubinstein e Anne Frank), Cinemark Pátio HigienópolisCineSescTeatro Eva Herz (Livraria Cultura do Conjunto Nacional) e Museu da Imagem e do Som (MIS). As sessões no Teatro Anne Frank e no MIS são gratuitas, enquanto nas outras salas os ingressos custam R$ 12 (inteira).

Sacrifícios pela beleza – Lógica Feminina no Viber

Sacrifícios pela beleza – Lógica Feminina no Viber

menos de 1 minuto Vídeo do Grupo Lógica Feminina no Viber é o campeão de views do canal   Oi, galera! Como todos aqui sabem (ou, se não sabem, ficarão sabendo agora!), o Viber (aquele app cheio de funcionalidades, stickers e tudo o mais) tem os Grupos Abertos e o Lógica Feminina é um deles. Aí que um dia desses, lancei um desafio para os participantes do Grupo Lógica Feminina no Viber e o desafio virou um vídeo muito maneiro no próprio canal do Continue lendo

#EspecialmenteDiferente é uma campanha para ajudar na conscientização sobre a adoção de pet com deficiência e, claro, para fazer acontecer esta adoção.

Todo bichinho tem potencial para ser o melhor pet do mundo. Mas alguns são especiais e geralmente são estes os que mais ficam esquecidos na hora da adoção.

Pensando nisso, a ONG UHelp criou uma campanha para conscientizar as pessoas sobre a importância da adoção de pet com deficiência, não apenas para o próprio pet, mas também para quem o adota.

A primeira edição da campanha #EspecialmenteDiferente acontece dia 30 de Agosto e a segunda edição no dia 20 de Setembro, ambas na PRAÇA VELORAMA, Jardim América, 9h00 às 18h00.

Para informações e contato, basta enviar email para uhelp@uhelp.com

adote-um-pet

 

Para que serve um namorado?

Para que serve um namorado?

menos de 1 minuto Para que serve um namorado? E você? Para que serve um namorado na sua opinião? Deixe seu comentário aí embaixo ou compartilhe a postagem com sua resposta e aproveite para saber a opinião de suas amigas sobre o assim também!

Como seria se: elas fossem sinceras

Como seria se: elas fossem sinceras

menos de 1 minuto Mais uma vídeo do nosso parceiro “Destruindo Relacionamentos” para a série “Como seria se“. Agora, pense se fôssemos extremamente sinceras, dizendo tudo o que se passa pela cabeça durante o nosso primeiro encontro? Acho que seria mais ou menos assim: Meu Deus, acho que me vi em umas 5 situações do vídeo, engolindo a vontade de dizer o que elas disseram! HAHAHAHA Você tem alguma história onde foi “sincera demais” no primeiro encontro? Me conta. Vai que dá um bom Continue lendo

É justa toda forma de amor

É justa toda forma de amor

menos de 1 minuto Amar é algo tão particular e intransferível que nem mesmo a mesma pessoa ama igual duas vezes. Já falei disso em outro texto, mas vira e mexe, esse assunto vem a tona. Na minha visão, cada um ama no seu tempo, ao seu modo, com sua intensidade e a quem lhe apetece. Isso significa que, ao meu ver, é leviano julgar amores por conta do tempo que durou, ou como foi conduzido, ou porque foi rápido pra ser considerado amor.  Continue lendo