Ser mãe de menina é ganhar uma aliada

Tempo de leitura: 2 minutos

Ser mãe de menina não é fácil, mas é mais valioso que qualquer tesouro.

Ser mãe de menina é ter que lidar com situações difíceis ao longo de toda a vida, mas nada disso tira o valor dessa preciosidade.

Quando nos tornamos mães, seja de menino ou menina, o nosso mundo muda.

Aquela criança se torna a nossa maior prioridade e passamos a pensar mais nela do que em nós mesmas.

Somos tomadas por um amor intenso tão forte que nos sentimentos mais fortes e mais frágeis, ao mesmo tempo.

Mais fortes, porque somos capazes de enfrentar tudo e todos pelos nossos filhos e filhas.

Mais frágeis, porque tudo o que diz respeito a eles nos abala e nos atinge vorazmente.

Mas é no meio disso tudo que encontramos o equilíbrio.

Recentemente li um texto sobre como ter filho menino é ganhar um príncipe encantado para sempre, por isso resolvi escrever a minha própria versão sobre ter filha menina.

Ser mãe de menina é ganhar uma amiga, uma parceira, uma companheira

mãe de menina

Quando soube que seria mãe de menina, pensei em muitas coisas ao mesmo tempo:

  • os perigos que assolam as mulheres só por serem mulheres
  • as questões sociais e fisiológicas da mulher
  • os medos naturais da maternidade quando os filhos crescem

Mas nada disso tira a maravilhosidade que é ser mãe de menina.

Ser mãe de menina e ver aquela pessoa crescendo e se desenvolvendo, tornando-se forte e autônoma é uma dádiva.

Eu sei que para muitas mães de menina, o senso de super proteção é o jeito certo, mas ao longo dos últimos 15 anos descobri que não.

Que o certo e o que mantém as nossas filhas mais seguras, é sermos mães de meninas capazes de se virarem sozinhas, sem precisar de nós nem de ninguém.

Ser mãe de menina é superar a nossa vontade de simplesmente proteger e, ao contrário, ensiná-las a serem capazes, poderosas, donas de si e nunca se submeterem a nada – NEM NINGUÉM – que lhes faça mal.

Ser mãe de menina nos torna detentoras da decisão dura e difícil de permitir que elas exerçam o poder de serem quem quiserem, mas mostrando-as como e quando se protegerem dos perigos.

Ser mãe de menina é empodera-las e encoraja-las a serem suas melhores versões, mesmo que esta versão não nos agrade.

Porque se tivermos filhos e filhas apenas para satisfazerem nossas próprias vontades, então não merecemos ser chamadas de mães – nem pais -, mas apenas de adultos com ego enorme demais para respeitar quem as nossas filhas querem ser.

Ser mãe de menina é ganhar uma aliada

Mas só se formos capazes de sermos aliadas da filha também.

Porque aliados, parceiros se respeitam mutuamente, sem que uma das partes abuse de sua posição privilegiada.

Se for assim, não é parceria, é apenas mais uma relação doente e abusiva.

Ser mãe de menina é a nossa chance de sermos melhores do que sempre fomos.

Comentários

comentários

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.