Sou feita de memórias, mas não só delas

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Sou feita de memórias, sou feita de agora. Sou feita de enganos e acertos, de certezas e de medos. Sou feita de razão, de perturbação. Sou feita de sim, mas também de não.

E eu sou tão apegada às minhas memórias… Cada uma delas.

Não haveria um homem ou um amor que fosse capaz de me fazer apagar da mente cada momento que vivi, porque são deles que me utilizo para evitar cometer os mesmos erros ou para repetir acertos.

E não há como eu dizer que cada amor e cada dor não foram importantes, porque foram sim.

Uma coisa que a maioria das pessoas não entende é que não precisei esquecer ou fingir que ninguém deixou de existir para seguir a vida, para amar de novo.

Pude ter a chance de me manter lúcida e verdadeira diante de minhas vivências e, melhor, poder partilhá-las como histórias saudosas com quem mais amo hoje.

É uma experiência única e que eu recomendaria a cada ser humano: se permitir e, claro, permitir o outro de falar de si, de seus momentos passados, de seus amores passados.

sou feita de memóriasPorque já passaram, já foram. Não voltam mais. Estou com quem quero hoje e sei disso porque sempre quis alguém que não fosse preso a convenções doentias que nos querem esquecidos ou calados diante de nossos próprios passados.

Como se falar da ex fosse querê-la de volta. Um dos maiores equívocos da humanidade, aliás!

Lembranças são nossos arquivos pessoais e lembrar com carinho, pensar com respeito, rir e chorar não tem nada a ver com querer de volta, querer de novo. Só pensa isso quem realmente tem “rabo preso” com o próprio passado e aí passa a achar que todo mundo vive assim.

Amar de forma livre tem muito mais a ver com o que você escolhe cobrar do outro do que o que o outro cobra de você. Porque quando o outro cobra demais, você tem chance de escolher desistir. Mas quando é você quem cria as regras que te prendem, você não tem como se libertar de si mesmo, escolher amar outro eu, a não ser que escolha ser outro eu, mudar.

Então… eu sou feita de memórias, mas não só delas. Sou feita de tudo o que elas me fizeram ser hoje e, claro, de tudo o que eu me permito ser a cada dia.

Comentários

comentários

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.