fim de namoro

Enfie essas migalhas no c*!

Enfie essas migalhas no c*!

menos de 1 minuto Enfie essas migalhas no c*! Não, cara, você não entendeu errado: enfie essas migalhas no c*! Por todo esse tempo tive medo de te perder e não percebi que me perdi. Me perdi de mim, de todas as coisas que acredito, que sei que são certas, da minha essência e das coisas que eu sei que mereço. Talvez você nem seja um cara ruim, mas me faz mal viver submersa nessa eterna esperança de que uma hora será minha vez. Continue lendo

Você não entenderia

Você não entenderia

menos de 1 minuto Você não entenderia, por mais que eu tentasse explicar. Porque tentei tantas vezes dar sinais e mostrar e você, no entanto, você ignorou. Ignorou minhas dores, meus medos, meu sofrimento, mas evidenciou minhas reações de desespero, porque elas, sim, te incomodavam. Foi quando eu percebi que você não me amava, nunca me amou. Se amasse, o meu sofrimento te doeria, te incomodaria. E não os meus gritos de dor. Se me amasse, eu não teria que explicar, porque você teria Continue lendo

A gente sempre supera… Sempre!

A gente sempre supera… Sempre!

menos de 1 minuto De alguma maneira, a gente sempre supera… A gente pode continuar querendo, desejando e amando, ainda assim, a gente dá um jeito de seguir a vida, de passar por cima, de se virar. A saudade pode nos corroer por dentro, mas a gente aprende a sorrir de novo, a beijar de novo, a amar de novo e até a sofrer de novo, mas de um outro jeito. E aí, aproveita a aprende a superar de novo. E com o passar Continue lendo

Obrigada por ter me deixado

Obrigada por ter me deixado

menos de 1 minuto Obrigada por ter me deixado, por me dar aquele fora… Doeu, foi sofrido, achei que jamais superaria. Achei que morreria de fome, de sede, de sono, de desidratação. Nada do que me dissessem ou fizessem me convencia a sair daquela cama, do meu sofrimento e da minha revolta por perder você. E nenhuma explicação era capaz de me fazer entender porque você não me queria mais. “Por quê?”, eu questionava a cada instante, pensando em mil possibilidades e nenhuma era convincente. Continue lendo