Verdades sobre o amor…

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Verdades sobre o amor estão sempre sendo ditas por aí a fora. E a maioria das coisas que são ditas, são verdades.

Mas são verdades tão íntimas, tão pessoais, tão baseadas em suas próprias experiências amorosas, que para outros, parecem mentiras ou apenas verdades menos válidas.

E, claro, eu também tenho isso. Então vou falar das minhas verdades.

Para começar, o amor não transforma a pessoa amada em super herói. Nem em linda. Nem em nada de melhor do que ele seja.

O que pode acontecer é que nós, encantados com o sentimento, vejamos nas pessoas um potencial positivo enormemente aumentado, daí que achamos que o cara é mais forte do que é, mais inteligente do que é, mais divertido do que é, etc.

O amor também não melhora caráter de ninguém. O que pode funcionar é a necessidade da pessoa em ser amada e, portanto, ela pode se esforçar em ser melhor, em parecer-se mais com aquilo que a pessoa que a ama idealiza.

O amor também não segura relacionamentos. Pode-se amar o quanto for, que um casal que vive sob pressão familiar, religiosa, financeira, social ou mesmo com problemas de falta de humor em um ou ambos, vai sucumbir.

Outra verdade é que amor não é incondicional. Tanto não é, que casais terminam o tempo todo. Se fosse, mesmo depois de traições, assassinatos, roubos, falcatruas das piores espécies, ainda se estaria amando e perdoando a pessoa.

Também não é verdade que amor só aconteça depois que as pessoas se conhecem. Há quem ame de cara e há quem ame apenas depois de tempos. Cada qual com seu jeito.

E também os que afirmam que só porque durou pouco não era amor, são equivocados. Se a pessoa sentiu intensamente, viveu intensamente, foda-se se durou pouco. O que importa é o que sentiu, não quanto durou.

verdades-sobre-o-amorAmor também pode surgir entre uma puta e um cliente, entre um médico e um paciente, entre uma faxineira e uma presidente.

Esse sentimento tão supervalorizado que leva a culpa por crimes, vidas estragadas, quando os verdadeiros culpados são geralmente os que não sabem ser amados e/ou amar. A culpa não é do amor, é da forma errada como o utilizam.

Amor não é arma, mas se mal empunhado, mata. Amor não é remédio, mas sem bem dosado, cura até tédio.

Essas são minhas verdades sobre o amor. As suas são suas e não são mentiras só porque são diferentes das minhas.

Quem sou eu pra duvidar do teu amor se tenho tanto amor pra cuidar em mim?

Agora, corram amar o quanto possam, porque ser amado é coisa pra gente que merece e só merece quem sabe bem amar…

[box type=”success” align=”aligncenter” ]Aproveita e lê meu texto: “Sempre te amei só não sabia“. Acho que você vai gostar.[/box]

Comentários

comentários

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.